Cerimônia de Colação de Grau da EaD/UFGD Polo de Costa Rica: novos formandos em Administração Público são graduados

Postado por Giovanni Bonadio Lopes em 24/05/2019


Durante a Solenidade de Colação de Grau dos formandos 2018.2 do curso a distância de bacharelado em Administração Pública da EaD/UFGD – Polo de Costa Rica/MS, transcorrida na última quinta-feira (25/04), a Paraninfa da Turma, Profª Elizabeth Matos Rocha, emocionou a todos ao saudar seus afilhados com um afetuoso discurso em que destacou a relevância e a responsabilidade dos futuros gestores.

A mesa de honra da solenidade foi presidida pela Diretora da Faculdade de Educação a Distância da EaD/UFGD, Profª Drª Elizabeth Matos Rocha, e composta pelas seguintes autoridades: Sr. Waldeli dos Santos Rosa, Excelentíssimo Prefeito Municipal de Costa Rica; Profª Me. Manuelina Martins da Silva Arantes Cabral, Digníssima Secretária de Educação de Costa Rica; Profª Me. Airta Platero de Souza Cabreira, Coordenadora de Polo UAB; Rosângela Marçal Paes, vereadora de Costa Rica; Profª Drª Grazielly Vilhalva Silva do Nascimento, Coordenadora UAB-EaD/UFGD e; Prof. Dr. Alex Torres Domingues, Coordenador de Tutoria do curso de Administração Pública-EaD/UFGD.

Ao final da Cerimônia, no salão de eventos da Câmara Municipal de Costa Rica, foi servido um delicioso jantar de confraternização, que contou com a presença de autoridades locais, familiares e amigos dos formados.

Saudamos mais uma vez os, agora, bacharéis em Administração Pública, pelo entusiasmo e pela determinação na busca pelo conhecimento e desejamos sucesso em suas trajetórias profissionais.

Direção da EaD/UFGD

Destacamos alguns fragmentos do discurso:

“[…]

Desse modo, como administradores da Coisa Pública, em potencial, que serão, ao fim desta solenidade, meu conselho é para que sejam incansáveis no adequado planejamento, organização, direção e controle da Coisa Pública, tangível, enquanto Bem Público, tendo a honestidade e a eficiência como princípios balizadores das suas condutas laborais e de vida.

Para isso é preciso considerar na agenda profissional que a graduação serve como via de validação e legitimação à administração pública. Contudo, a aquisição de conhecimentos mais consistentes deverá ser incorporada à formação permanente. Desse modo, é fundamental dar continuidade aos estudos, em cursos de especialização, mestrado e doutorado em áreas afins à Administração. Só assim, com os estudos atualizados, conseguirão aprovação nas tão concorridas vagas nos concursos públicos ou mesmo chefiar grandes empresas.

Embora o momento, no Brasil, seja de volatilidade no mercado financeiro, de reformas severas na proposta da previdência dos servidores públicos, militares e trabalhadores da iniciativa privada e, ainda, de grandes dificuldades e desigualdades sociais, há que se assumir que os bons e qualificados profissionais, que possuem senso do coletivo, da honestidade e da proatividade, terão mais chances  de ótimas colocações profissionais.

Não obstante olhar para suas vidas profissionais, aconselho-os para que olhem, também, com zelo, afinco, solidariedade e amor, para seu próximo,

seja esse próximo, sua família, seus vizinhos ou, simplesmente, outro ser humano que você não conhece tão bem. Cuidar do outro faz muito bem a nós, pois nos liberta da saturação do eu. Quando saio do centro das minhas preocupações, abro espaço para ver que muitas vezes a dor do outro é amplamente maior que a minha e que cabe a mim, a atitude de menos de mim e mais do outro. É mais uma chance de ser útil. É mais uma chance de ser feliz.

Ao final, aconselho, também, para que exercitem, por meio da fé, o diálogo diário com Deus, que realmente se interessa por tudo que somos, pensamos e sentimos e do qual somos imagem e semelhança, como dito em Gênesis 1:26. Ter Deus no dia a dia nos ajuda a superar com mais serenidade e confiança os desafios que se apresentam.

Contudo, em todas as suas ações diárias, sejam plenos de amor. Amar é o sentimento chave que nos traz paz, harmonia e felicidade, como dito em 1 Coríntios 13: 1- 13, mensagem que, também, agrego ao meu discurso:

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.

 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.

 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.

O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.

Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;

Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;

Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;

Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;

Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.

Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.

Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.’”